Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

quarta-feira, 9 de maio de 2012

EVANGELHO DA PROFETADA

Há cristãos que valorizam mais a palavra de profetas da atualidade, que a própria Palavra de Deus. Estão em permanente busca por profecias instantâneas, visitando ranchos de profeta e tendas de revelação. Correm assim o risco de serem iludidos e manipulados, pois o Senhor Jesus nos alertou: “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos” (Mateus 24.11). Novamente Ele disse: “Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mateus 24.24). Então, como devemos nos portar em relação às profecias?  

Ora, nem todo espírito que profetiza através do homem procede do Pai. Por isso, é preciso discernimento antes de acreditar em qualquer mensagem profética. “Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (I João 4.1). E as aparências enganam muito, porque a capa branca e macia de ovelha pode dissimular a presença de lobo voraz, que busca apenas dinheiro, fama e domínio sobre as pessoas. “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores” (Mateus 7.15).

Profetizar é dom do Espírito Santo (I Coríntios 12.10), entretanto não é passaporte para a vida eterna. É necessário agradar a Deus, abandonando a iniquidade, que consiste na prática de injustiça, perversidade e maldade. Jesus asseverou: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? (...) E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7.21-23).

Determinados profetas sempre têm recado de bênção, prosperidade e vitória para entregar aos ouvintes. A fama e o prestígio de alguns entre os seus seguidores causam até grande admiração. Todavia, não queira auferir os elogios que eles recebem. É melhor temer a repreensão que vem do Senhor Jesus: “Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas” (Lucas 6.26).

Esse evangelho da profetada tem produzido cristãos supersticiosos. Eles desejam muito receber revelações de Deus para o cotidiano, porém não se esforçam para conhecer e praticar os ensinos da Bíblia Sagrada. Preferem ouvir da boca de profetas mensagens que satisfaçam as preocupações e inquietações pessoais. Não se importam com a advertência do Senhor Deus: “Ai dos profetas loucos, que seguem o seu próprio espírito e que nada viram!” (Ezequiel 13.3).

Interessante notar que a profetada é como cédula falsa. Parece bastante com a verdadeira e passa despercebida pelas mãos de várias pessoas. Isso, até que alguém mais cuidadoso observa, reconhece a falsidade e se recusa aceita-la. O cristão deve ser ouvinte atento e aprender a julgar o conteúdo das profecias (I Coríntios 14.29). A melhor forma é submetê-las ao rigor dos preceitos Bíblicos, bem como ao crivo do tempo enquanto se caminha pela fé: “E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele” (Deuteronômio 18.21-22).

As Sagradas Escrituras consistem na maior e mais excelente profecia já revelada aos homens, que direciona e ilumina o caminho da verdade. “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.  Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (I Pedro 1.19-21).

De fato, "toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça" (II Timóteo 3.16). Desse modo, sua mensagem deve estar gravada no íntimo do cristão, "porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração" (II Coríntios 3.3). Enfim, é bem melhor praticar a profecia Bíblica que seguir o evangelho da profetada.  
                                                                                                  Adiel Teófilo