Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

PASTORES MIDIÁTICOS

7 razões pelas quais Pastores Midiáticos e seus programas não contribuem para a Salvação dos Povos.

 
Por Raquel Elana.
 
1. A mensagem principal e toda a teologia de seus programas é baseado na infame Teologia da Prosperidade. Essencialmente pregam que para ser abençoado a pessoa precisa dar. Transformam ofertas em um negócio já que a oferta não é “voluntária”. Existem valores mínimos, carnês que já vem com o valor da “contribuição”, prêmios para os que contribuem que vão desde “profecias automáticas de cura e benção financeira” (dependendo do valor da oferta) até livros, meias santas e ungidas e o que a criatividade produzir.
 
2. Na Teologia da Prosperidade não existe a palavra Missões. Ou melhor, existe mas ela é deturpada. Missões para estes pastores nada mais é do que contribuir para o ministério deles. De vez em quando mostram uma foto ou um trabalho de assistência social com viciados químicos ou semelhantes. Mas nada que se compare ao tamanho da fortuna e ao investimento que fazem em seus próprios ministérios. Povos Não Alcançados* são totalmente ignorados, haja visto que em tais países não é possível abrir templos e com isso obter alguma arrecadação.
 
3. Pastores Midiáticos ignoram os desafios de Missões. Por exemplo, não há interesse em investir ou trabalhar com as mais de 250 tribos indígenas não alcançadas no Brasil. Missões Transculturais exige investimento de tempo, estudo e dinheiro. E o retorno não é financeiro. Daí a explicação para ignorar tais desafios.
 
4. Pastores Midiáticos investem em locais que já ouviram o Evangelho. Geralmente a luta dos Pastores Midiáticos não é por vidas Não Alcançadas, mas por audiência em nações, países e cidades onde já existe a presença do Evangelho. Ao contrário do que fazem a maioria das organizações missionárias transculturais, pastores midiáticos estão em constante briga por audiência e por novas oportunidades em canais e redes de televisão. A sede pela imagem e presença que possuem na mídia é inacreditável. Algumas de suas igrejas clamam ter mais de 150 templos espalhados pelo mundo, mas geralmente estão em países na Europa, Estados Unidos e na África portuguesa onde existe o retorno certo de arrecadações.
 
5. Apesar de falarem que estão alcançando o mundo e o Brasil com o Evangelho, seus programas são recheados de apelos desesperados por contribuição para que possam permanecer na mídia. Apesar de serem apontados por aparelhos de pesquisa como a Revista Forbes como os pastores mais ricos do Brasil (ricos graças as suas ofertas), eles precisam de ajuda para se manterem no ar. Afinal, horário de televisão é muito caro.
 
6. Mesmo pagando grandes quantias financeiras para permanecerem na TV e para isso contam com diferentes formas de ajuda (venha de onde vier), a fortuna pessoal deles (ou do que chamam “ministério”), não cessa de crescer. Livros, empresas, Cd’s, casas, mansões, carros, seguranças, aviões que segundo eles vem do trabalho (das suas ofertas). Denúncias e reportagens investigativas são facilmente chamadas de “perseguição do diabo, dos inimigos” e assim sendo, o povo (totalmente manipulável), aceita e continua contribuindo.
 
7. Suas mensagens são cheias de ataques pessoais (às vezes uns contra os outros), discursos de perseguição, promessas de “vitória” para quem pagar e por aí vai. Perdem um tempo absurdo com vendas. Eles não pregam a verdade simples e pura do Evangelho e sempre precisam de novas “guerras” para “unir o povo de Deus” e assim cumprir o seus objetivos de poder. O planalto para estes não é o limite. Infelizmente, milhares de pessoas de forma consciente ou inconsciente, se tornam discípulos deste estilo de viver um pseudo evangelho. Alguns já estão sob o juízo de Deus e outros se venderam à ganância.
 
Discípulos de um Pseudo Evangelho só podem gerar discípulos doentes. Discípulos doentes formam Igrejas Contaminadas. Será este o futuro da Igreja Brasileira?
 
* No mundo existem hoje aproximadamente 13 mil Povos Não Alcançados pelo Evangelho.
 
Janela 10/40 é uma faixa da Terra que se estende do Oeste da África, passa pelo Oriente Médio e vai até a Ásia. A partir da linha do equador, subindo forma um retângulo entre os graus 10 e 40. A esse retângulo denomina-se JANELA 10/40. Calcula-se que até hoje menos da metade da população mundial com as suas etnias e línguas tenham sido confrontadas com E evangelho. A outra parte, com sua maioria absoluta na Janela 10/40, representa uma grande multidão de cerca de 3,2 bilhões de pessoas que ainda são objetos dos empreendimentos missionários do povo de Deus.
 
É a área do mundo onde vive o maior número de povos não alcançados, predominando os seguidores do Islamismo, do Hinduísmo e do Budismo. O Islamismo está atingindo 1 bilhão de adeptos, o Hinduísmo, mais de 700 milhões. A Janela 10/40 é conhecida como o Cinturão de Resistência; nela se encontram as fortalezas de Satanás, pois 37 dos 50 países menos alcançados do mundo localizam-se nessa região. Nessa área, estão 82% dos mais pobres do planeta. Bilhões de pessoas são vítimas das enfermidades, misérias e calamidades. (Fonte: http://missoes-alem-das-fronteiras.blogspot.com.br/2012/08/povos-nao-alcancados.html)
Fonte: Gnotícias Gospel +