Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

terça-feira, 4 de março de 2014

IGREJAS SAUDÁVEIS

Por Adiel Teófilo.

Veja as 10 virtudes que podem ajudar significativamente a saúde das igrejas na atualidade.

1) Cristocêntrica: prioriza a Salvação e a nova vida em Jesus Cristo, acima do materialismo, da prosperidade e do hedonismo (busca incessante pelo prazer como bem supremo). “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.33). “Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” (I Timóteo 2.3-4).

2) Ensino Bíblico: trata o ensino das Escrituras com responsabilidade e interpreta as doutrinas buscando sempre o verdadeiro sentido da Palavra de Deus revelada aos homens. “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá” (I Timóteo 4.13). “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (II Timóteo 3.16).
 
3) Oração: dedica tempo significativo para a oração fervorosa nas reuniões e incentiva os membros a manter uma vida diária de oração. “Orai sem cessar” (I Tessalonicenses 5.17).

4) Santificação: orienta a  prática de vida cotidiana por ensinos Bíblicos que mostram claramente a separação entre o sagrado e o profano. “Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. [...] Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação” (I Tessalonicenses 4.3-5 e 7). “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12.14).

5) Comunhão: fortalece os vínculos de comunhão fraternal, muito além da proximidade durante as liturgias, proporcionando cooperação entre os membros e auxílio em favor uns dos outros. “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (Atos 2.42). “Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo” (Gálatas 6.2).

6) Adoração: oferece a Deus adoração espiritual sincera, através de louvores com alegria, cânticos inspirados e atitudes de reverência que exaltam ao Senhor. “Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade” (Salmos 29.2). Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” (João 4.23).

7) Fruto do Espírito:  busca o aprimoramento do caráter e comportamento dos membros através da manifestação das virtudes do Espírito Santo. “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (Gálatas 5.22).

8) Dons Espirituais: ensina, valoriza e busca os Dons Espirituais, que se manifestam com frequência na igreja (palavra da sabedoria; palavra da ciência; fé; dons de curar; operação de maravilhas; profecia; discernimento de espíritos; variedade de línguas; interpretação das línguas) “Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. [...] Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente” (I Coríntios 12. 4 e 31)

9) Evangelismo e Missões: realiza atividades evangelísticas, incentiva os membros a evangelizar e desenvolve ou participa de programa que envia e sustenta missionários no Brasil ou no exterior. “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28.19).

10) Dízimos e ofertas: administra os recursos financeiros com honestidade e transparência, cumprindo na sua aplicação os propósitos Bíblicos. “Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo [...] Ao fim de cada três anos tirarás todos os dízimos do fruto do terceiro ano, e os recolherás na tua cidade; Então virá o levita (pois não tem parte nem herança contigo), o estrangeiro, o órfão e a viúva, que estão dentro da tua cidade, e comerão, e se fartarão, para que o Senhor teu Deus te abençoe em todas as obras que as tuas mãos fizerem” (Deuteronômio 14.22, 28-29). “Digno é o obreiro do seu salário” (I Timóteo 5.18).