Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

domingo, 10 de novembro de 2013

MEMÓRIAS DE UM PRESBÍTERO FRACASSADO


http://img1.blogblog.com/img/icon18_wrench_allbkg.pngPPPor Pb. Luciano Sanntos.

"VOCÊ TÁ ME TIRANDO?"
 
Foi essa a pergunta feita de forma áspera ao telefone por ninguém mais e ninguém menos que a minha pastora. Eu fiquei sem reação! Se ela me ligasse e me cumprimentasse com “A Paz” primeiramente e depois falasse “Você tá me tirando?” (Leia-se você está de s... comigo? Você está me zuando?), eu não assustaria tanto!
 
Creio que você, caro leitor, não está entendendo nada. Eu também não entendi. Mas depois do susto ela então explicou. A razão da ira era porque eu tinha postado no facebook, que não adianta fazer campanha de prosperidade se primeiro não obedecer a Deus. Simples assim!
 
Mas alguém leu e ligou pra ela dizendo que eu estava criticando suas campanhas na igreja. Aqui se revela o total despreparo da pessoa em lidar e administrar crises. Primeiramente, não leu e nem analisou o contexto da minha postagem. Segundo, ouviu uma pessoa qualquer e não refletiu como agir. Não ataquei ninguém, até porque ela gosta de campanha de libertação com direito a vale do sal e tenda milagrosa. Eu fui bem específico.
 
Depois de ter explicado por telefone, senti que ficou mais calma. Mas eu me senti “tirado”, no sentido amplo da palavra, de vez da comunidade.
 
Hoje vemos a quantidade de líderes de igrejas e comunidades que não têm preparo nenhum para lidar com o rebanho. Apenas pedem a benção dos pastores e abrem seu próprio ministério e começam uma campanha insana para adquirir adeptos e angariar fundos para se firmarem. Ninguém quer ser servo. Querem ser pastor.
 
Estamos cheios de pastores novos convertidos. É isso mesmo que você leu! São neófitos, pessoas totalmente despreparadas sem chamado de Deus. Mas tem boa lábia, carismáticos e cheios de dons. Os mais requisitados são os que têm dom da profecia e da cura. Esses saem na frente!
 
Gostam de ter agenda cheia para tratar as pessoas ávidas por um conselho diretamente do céu. Adoram que as ovelhas usem muletas espirituais. Nada fazem sem o seu conselho. É a famosa “cobertura espiritual”. Debaixo dessa cobertura você pode tudo. Adultera, prostitui, frauda, engana, mente... A pessoa que pratica isso não se sente culpada, afinal tem a cobertura do(a) profeta de Deus.
 
Digo isso por conhecimento de causa. Vi e vejo isso acontecendo diariamente. Mas nem todos têm coragem de interpelar, chamar a atenção. Afinal tocar no ungido acontece isso: “Você tá me tirando?”

Ultimamente estou mais tranquilo, quando percebo que sempre incomodo por onde passo. É sinal que estou na contramão do sistema sujo que impera nas grandes igrejas cheias, ou melhor, inchadas. O fim justifica os meios. Têm que prender o povo! Nem que seja com vários quilos de sal num pano branco, como disse uma pastora certa vez. Base bíblica, não tem! Mas o povo gosta e acredita e isso é o que importa.
 
Mas eu cansei! Cansei de óleo ungido e perfumado. Cansei de sal grosso. Cansei de ato profético com balões de nitrogênio pra levar pedido para o céu... Com todas essas aventuras que eu passei, aprendi uma coisa: tenho que entender bastante de gírias para não ficar perdido quando algum pastor(a) novo convertido me ligar...  “Você tá me tirando?”