Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

sábado, 7 de setembro de 2013

VENDE-SE UM REVÓLVER


Não se trata de incentivo ao uso de arma de fogo, nem de apologia à prática de violência.
Leia até o final para entender!
Por Adiel Teófilo.
 
Estou encerrando a minha jornada na ativa do serviço público, após mais de trinta anos de trabalho. Foram mais de duas décadas de serviços prestados à Polícia Civil do Distrito Federal: sete anos como Escrivão e catorze anos como Delegado de Policia, em regime de dedicação exclusiva e tempo integral à disposição da polícia. Nesse período, por dever de ofício, utilizei para defesa pessoal o revólver calibre 38 que aparece na foto ao lado.

Participei de inúmeras operações policiais e de incontáveis atividades utilizando esse revólver. Trazia comigo tão bem disfarçado ao corpo, que não raras vezes esquecia que estava portando uma arma de fogo. Foi comigo para o trabalho diário, mas também me acompanhou durante viagens, passeios, compras e até mesmo para a igreja, sem que ninguém percebesse que lá estava alguém portando tal instrumento.

É uma grande alegria nesse momento alcançar a aposentadoria. Porém, a minha maior satisfação é constatar o quanto Deus me guardou durante todos esses anos de trabalho em atividade de risco. Perdi a conta de quantas pessoas abordei em operações na rua e de quantas efetuei a prisão, porém algo importante sei contar muito bem: nunca efetuei um tiro sequer contra alguém! Não foi preciso ferir nem matar meu semelhante! Isso porque Deus me guardou em toda essa jornada, quebrando as resistências humanas e livrando-me de todas as ciladas do diabo!  

Agradeço imensamente a Deus por ter me guardado com vida e me ajudado a encerrar a carreira policial em paz com a consciência, com a certeza do dever cumprido. Como prova da minha imensa gratidão ao Senhor, o citado revólver foi vendido para outro Policial Civil do Distrito Federal, desejando que ele tenha igualmente a benção de Deus no seu trabalho. O dinheiro proveniente dessa venda foi destinado integralmente para a Obra Missionária, para o CENTRO DE EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL - CEM, a fim de que almas sejam salvas através da pregação do Evangelho do Senhor Jesus Cristo.
 
Afinal, se o Senhor não tivesse me guardado no decorrer desses anos, em vão teria usado esse revólver, pois “se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” (Salmo 127.1).