Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

sexta-feira, 5 de junho de 2009

ESTUDO BÍBLICO: A DOUTRINA DA SANTIFICAÇÃO


Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; (Hb 12.14)
- O que é a santificação? O que é ser santificado?
- É ter comportamento esquisito, estereotipado, inabitual, de isolamento?
- É ter espírito crítico e censurador sobre a vida alheia?
- É ter atitude espiritual arrogante e depreciativa dos pecadores?
-> Precisamos conhecer e praticar o que a Palavra de Deus nos ensina (doutrina) sobre a santificação.


I – TERMOS BÍBILICOS SOBRE SANTIFICAÇÃO


1.1 – O AT usa três termos quase 1.000 vezes: qadosh (santo), qadash (santificar) e qodesh (santidade)
- QADASH (Santificar): tem a idéia de “cortar”, “tirar de algum lugar”. Operários cortando blocos de pedra nas pedreiras. Daí definirem santidade como “separação”, com uma finalidade.
- Lv 19.2: Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o SENHOR vosso Deus, sou santo.
- A santidade faz parte do caráter de Deus, assim Seu povo deve se ajustar ao Seu caráter.
- Santidade de Deus é absoluta, por ser fonte de todo bem, mas o homem pode ser contaminado, corrompido.


1.2 - Os sentidos da palavra QADOSH (santo):
a) Separação: “Santo” descreve natureza divina; a perfeição moral absoluta que está em Deus o torna separado do que é terreno e humano;
- Quando o Senhor deseja usar uma pessoa a separa do uso comum, e em virtude dessa separação, a pessoa torna-se “santo”.


b) Dedicação: “Santo”, usada em relação ao culto expressa pensamento de que homem é dedicado ao serviço divino, no sentido especial de ser sua propriedade. Israel é nação santa por ser dedicada ao serviço de Jeová; os levitas são santos por serem especialmente dedicados ao serviço do tabernáculo.


c) Purificação: caráter de Deus age sobre tudo que lhe é consagrado, e os homens consagrados a Deus participam de sua natureza. Lv 8: Sacerdotes foram consagrados por Moisés, que os lavou com água, ungiu-os com azeite e aspergiu-os com sangue de consagração.
d) Consagração: no sentido de viver vida santa e justa.
- “Santidade é a vida regenerada em conformidade com a natureza divina e dedicada ao serviço divino; isto pede a remoção de qualquer impureza que estorve esse serviço.” (Myer Pearlman).
- I Pe 1.15 e 16 : “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.”
- Santificação inclui remoção de qualquer mancha ou sujeira que se contrária à santidade da natureza divina.
- Como deve viver povo santo? A Israel Deus deu código de leis de santidade que se encontra em Levítico. O mesmo se dá com cristão: àqueles declarados santos em Cristo são exortados a seguir a santidade. II Cr 7.1 “Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.”


e) Serviço: “santo” expressa também serviço a Deus. Israel é descrito como nação santa e reino de sacerdotes. Ex 19.5 e 6 “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo.”
- Da mesma forma, os cristãos, pelo sangue da aliança do cordeiro, tornam-se sacerdócio real e nação santa: I Pe 2.9 “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”
- Serviço é pois elemento essencial da santidade ou santificação;
- É o único sentido em que o homem pode pertencer a Deus, como seu adorador que lhe presta serviço.


II – O TEMPO DA SANTIFICAÇÃO


2.1 - Posicional e instantânea: segundo o NT reúne a idéia de mudança de posição perante Deus: o imundo pecador se transforma em santo adorador.
- A santificação é simultânea (instantânea) com a justificação.
- Assim, os cristãos são justificados em Cristo, tornando-se “santos” e “santificados em Cristo”: I Cr 1.2 “À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso SENHOR Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:”
- Foram chamados a ser santos, embora não se portavam dignos dessa vocação santa.
2.2 - Prática e progressiva: é prática (não teórica) porque exige uma santa maneira de viver.
- A separação inicial (posicional) é apenas o começo duma vida progressiva de santificação. Embora chamados “santos”, alguns dos Coríntios foram descritos como “carnais”, faltava-lhes a espiritualidade. I Co 3.1-3 “E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis, Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?”
- A condição presente não estava à altura da posição concedida por Deus.
- Os cristãos são separados para Deus em Jesus Cristo.
- Dessa separação surge responsabilidade de viver para o Senhor.
- Essa separação deve continuar diariamente.
- Cristão deve se esforçar para ser conforme imagem de Cristo.
- I Pe 2.5 “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.”


III – MEIOS DIVINOS DE SANTIFICAÇÃO


3.1 – O Sangue de Cristo: pela obra redentora do Filho de Deus o ser humano é transformado de pecador impuro em adorador santo; (santificação posicional) Hb 13.12 “E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.”
- o crente é eternamente separado para Deus;
- sua consciência é purificada;
- é unido em comunhão com o Senhor Jesus Cristo;
- Há um aspecto contínuo na santificação pelo sangue: 1 Jo 1.7 “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.”
- A consciência do pecado ofusca comunhão com Deus, mas a confissão e fé no eterno sacrifício de Cristo removem a barreira do pecado: I Jo 1.9 “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.”


3.2 – O Espírito Santo: (Santificação interna) I Co 6.11 “mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.”
- É o inicio da obra de Deus nos corações dos homens, conduzindo-os ao inteiro conhecimento da justificação pela fé.
- Tal qual o Espírito pairava sobre o caos original (Gn 1.2), seguindo-se o estabelecimento da ordem pelo Verbo de Deus, assim o Espírito paira sobre a alma humana, fazendo-a abrir-se para receber a luz e a vida de Deus, cf. II Co 4.6 “Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo.”
- Somos santificados pelo Espírito de Deus: II Ts 2.13 “Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do SENHOR, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade;”


3.3 – A Palavra de Deus: (Santificação externa e prática)
- Jo 17.14 e17: “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. ... Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.”
- Ef. 5. 25”b”-27: “...como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.”
- Jo 15.3 “Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado.”
- Sl 119.9: “Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.”
- Os cristãos são descritos como sendo gerados pela Palavra de Deus: I Pe 1.23: “Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.”
- A Palavra de Deus por ser viva e eficaz desperta no homem a consciência de que é pecador e carece da glória de Deus.
- Ao dar importância à Palavra arrependendo-se dos seus pecados e crendo no Senhor Jesus Cristo é purificado pela Palavra que lhe é falada.
- Esse é o início da purificação que deve continuar por toda a vida do crente.


CONCLUSÃO


- Vivemos num mundo manchado pelo pecado.
- Estamos rodeados por violência, pornografia, imoralidade, desonestidade, falsas religiões, materialismo, indiferença e comodismo.
- Jesus intercedeu a Deus não para que nos tirasse do mundo, mas para que nos livrasse do mal.
- Devemos fugir de todo mal e brilhar como luz num mundo de trevas.
- Nunca em toda história da humanidade foi tão difícil viver como povo santo e santificado em meio a tanta corrupção e injustiças, inclusive no meio evangélico.
- No entanto, Jesus nos deus o exemplo de que é possível viver vida de pureza, sem pecado.
- Devemos seguir os passos do Senhor Jesus Cristo e nos guardar incontaminados da corrupção desse mundo.


I Ts 5.23 “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.”


"Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra." (Apocalipse 22 : 11)
                                                                                                       Adiel Teófilo