Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

quarta-feira, 2 de julho de 2014

CRENTES ASSASSINOS

Por Adiel Teófilo.

Tem gente que diz ser cristão, porém se comporta como assassino. Isso mesmo, homicida, por causa dos maus sentimentos que alimenta em seu próprio coração. A Bíblia Sagrada é que nos mostra com franqueza esta verdade: “Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino;” (I João 3.15). 

E esse mesmo versículo aponta qual é a consequência dessa má atitude contra o próximo: “ora, vós sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si.” Com efeito, não tem parte e nem comunhão com Deus, porque “se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” (I João 4.20)  

Há crentes que, infelizmente, estão matando o próximo. Cumpre-se assim, em todos os sentidos, até mesmo dentro do arraial evangélico, a predição de Mateus 24.9-10: “Então sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros”. E as armas empregadas nesse genocídio nem sempre derramam sangue, mas ferem gravemente a alma. São capazes de agredir com violência a autoestima de alguém e tirar completamente a alegria de viver.

Por causa disso e conhecendo muito bem o intento do coração humano, o Senhor Jesus nos adverte em Mateus 5.21-22: “todo aquele que sem motivo se irar contra o seu irmão será réu de juízo”. Isto é, estará sujeito a julgamento, tanto quanto o homicida, que tira a vida do próximo. Alerta-nos também que se alguém “proferir um insulto contra seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal”, na outra versão, “será réu do sinédrio”. Ou seja, em razão da gravidade dessa ofensa, o agressor deverá ser julgado por uma instância superior e com todo o rigor da lei.

E ainda, no supracitado versículo, chama-nos a atenção: “qualquer que lhe disser: Louco (tolo), será réu do fogo do inferno”. Isso quer dizer que, se alguém proferir uma injúria tal como essa, que menospreza e humilha o outro, o juízo de Deus já está determinado e será bem mais severo. De fato, os assassinos não herdarão o Reino de Deus, pois ficarão de fora da Nova Jerusalém que descerá do Céu (Gálatas 5.21, Apocalipse 3.12 e 22.15).

Diante disso, precisamos ter coração limpo e refrear a nossa língua para não proferir nenhum mal contra o próximo. Porque de dentro do coração dos homens é que procedem os maus pensamentos, os homicídios, as malícias, o dolo, a inveja e a soberba (Marcos 7.21-22). Contudo, bem-aventurado aquele que é limpo de coração, pois alcançará o privilégio de ver e estar para sempre com Deus (Mateus 5.8). Enfim, “a morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza comerá do seu fruto.” (Provérbios 18.21). Não sejamos, portanto, crentes homicidas!