Defesa do Evangelho busca a prática sincera dos verdadeiros ensinos do SENHOR JESUS CRISTO. “...Sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda” (Filipenses 1.17-18). Participe dessa Defesa! Deixe o seu comentário ao final do artigo ou escreva para o nosso email: adielteofilo7@gmail.com

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A GENEROSIDADE DOS FRUTOS

Perto da nossa casa tem um lote vazio, que não tem cerca e ninguém mora lá. Porém, há nele várias árvores frutíferas, parte do pomar de uma fazenda que foi desmembrada em lotes residenciais. Elas exalam aroma agradável e produzem com abundância os seus frutos: amora, jaca, goiaba, jabuticaba, ameixa e outros. Os pássaros se deleitam com os seus sabores. Como esses frutos não são colhidos regularmente, a maior parte acaba espalhada pelo chão.

A natureza tem muito a nos ensinar. Ainda que ninguém vá colher os frutos, as árvores continuam generosamente com a sua produção. Assim devemos ser no pomar da vida, produzindo sempre os frutos da honestidade, integridade e caridade, mesmo que muitas pessoas não se aproximem para apreciar o sabor das suas boas atitudes.

O Senhor Jesus agiu dessa forma, embora rejeitado por muitos. Os seus frutos continuam alimentando a humanidade, pois amou a todos de tal forma que morreu na cruz para perdoar os pecados e conceder vida eterna a quem nEle crer. E ensina-nos assim: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (João 15.5).

Desse modo, aquele que tem a virtude da comunhão com Cristo, torna-se capaz de produzir frutos com generosidade, testificando que realmente é filho de Deus. Portanto, creia no Senhor Jesus como seu Salvador e frutifique na humildade, bondade e amor ao próximo, porque Ele mesmo testifica: "nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos" (João 15.8). Não seja, pois, infrutífero diante de Deus e dos homens.
                                                                             Adiel Teófilo.

ÁRVORE DE BONS FRUTOS - APOCALIPSE 16